Cinco rebeldes mortos em combates no Afeganistão

Soldados americanos e afegãos mataram cinco supostos rebeldes durante uma operação em larga escala contra guerrilheiros supostamente vinculados à milícia fundamentalista islâmica Taleban e à rede extremista Al-Qaeda numa volátil província do leste do Afeganistão, informou o Exército dos Estados Unidos nesta terça-feira. De acordo com um comunicado militar divulgado pelos Estados Unidos em Cabul, cinco "terroristas" morreram em choques registrados na segunda-feira em Asadabad, capital da província de Kunar, depois de soldados em patrulha terem visualizado um grupo de sete supostos militantes. Asadabad situa-se a 170 quilômetros de Cabul. Não ficou claro o que houve com os outros dois supostos rebeldes. Cerca de 2.500 soldados americanos e afegãos estão engajados atualmente na Operação Leão da Montanha. A retomada da violência na província de Kunar ocorre em um momento no qual o governo do Afeganistão exige do vizinho Paquistão mais ações para reprimir insurgentes que estariam se aproveitando da volátil fronteira entre os dois países para lançar ataques em solo afegão. A província de Kunar faz fronteira com o Paquistão. Entretanto, as exigências de Cabul parecem ter irritado Islamabad, que já posicionou cerca de 80 mil soldados em seu lado da escarpada região de fronteira. Paquistão e Afeganistão compartilham quase 2.500 quilômetros de fronteira. O presidente do Afeganistão, Hamid Karzai, exigiu hoje mais cooperação do país vizinho. Em resposta, a chancelaria paquistanesa alegou que Islamabad já fez bastante pelo combate aos guerrilheiros que atuam na região e sugeriu a Cabul que faça sua parte. Enquanto isso, dois soldados dos americanos ficaram feridos na explosão de uma bomba posicionada à beira de uma estrada na província de Zabul, no sul afegão, disse o tenente Mike Cody, porta-voz militar americano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.