Cinco soldados israelenses são condenados por não servirem nos territórios

Cinco oficiais israelenses foram condenados hoje por uma corte militar a um ano de prisão por se recusarem a servir na Cisjordânia e Faixa de Gaza, disseram fontes militares.De acordo com a mídia de Israel, os três juízes entenderam que os rapazes agiram por razões políticas e ideológicas, na tentativa de conquistar outros jovens para a causa e forçar uma mudança nas políticas do governo de maneira antidemocrática. Para Dov Hanin, advogado dos cinco oficiais, eles são opositores conscientes que não serão julgados pelas leis israelenses. "Para que serve a liberdade de expressão se, no fim das contas, você é jogado na prisão por fazer uso dela?", Hanin disse à Rádio Israel.Um dos condenados, que não quis se identificar, afirmou à Rádio que é apenas uma questão de tempo até que Israel se retire da Cisjordânia e Faxia de Gaza, ocupadas desde 1967 na Guerra dos Seis Dias. "No fim, nos retiraremos de lá, a ocupaçãp terá fim e lá se formará o Estado Palestino. Estamos somente perdendo vidas nos dois lados, dia após dia".Durante os últimos três anos, muitos soldados israelenses se recusaram a lutar nos territórios, apesar de não se colocarem contra o Exército, como é o caso dos cinco oficiais condenados.Dezenas de reservistas do Exército de Israel foram condenados à prisão recentemente por se recusarem a servir nos territórios ocupados, e outras centenas têm feito pequenos arranjos em suas unidades de modo a servirem dentro das fronteiras do Estado judeu.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.