Cinco supostos integrantes da Al-Qaeda são entregues aos EUA

O iemenita Ramzi Binalshibh, importante dirigente da organização terrorista Al-Qaeda detido no dia 11 em Karachi, foi entregue hoje pelas autoridades paquistanesas às forças americanas junto com outros quatro supostos integrantes da rede terrorista, e já foram levados para fora do Paquistão.Citando fontes nos serviços secretos e no Departamento de Estado, uma emissora paquistanesa informou que Binalshibh e os demais não serão levados por enquanto a território americano, mas apenas trasladados a um terceiro país, não revelado. Eles estavam entre 10 pessoas detidas na semana passada em duas ações em Karachi.O setor de inteligência dos EUA suspeita que Binalshibh iria ser o 20º seqüestrador dos aviões usados nos atentados terroristas de 11 de setembro de 2001 e só não teria tomado parte no ataque por não ter conseguido visto de entrada no país. Dezenove militantes islâmicos participaram dos ataques, divididos em grupos de cinco em três aviões seqüestrados, e quatro no outro.A entrega de Binalshibh e dos outros foi feita depois que autoridades paquistanesas tomaram conhecimento de que eles poderiam estar envolvidos na morte do jornalista Daniel Pearl, do Wall Street Journal, que foi seqüestrado em janeiro em Karachi.Se for estabelecido um vínculo, seria a primeira evidência de que a Al-Qaeda esteve envolvida no seqüestro e morte de Pearl.O FBI acredita que Binalshibh dividiu um quarto em Hamburgo, Alemanha, com Mohammed Atta, o suposto líder dos seqüestradores suicidas. Depois de não ter conseguido o visto de entrada nos EUA, Binalshibh teria enviado dinheiro para pelo menos um dos seqüestradores. Ele aparentemente viajou da Alemanha para o Paquistão por volta de 11 de setembro de 2001.Binalshibh vangloriou-se de seu papel no planejamento dos ataques durante uma entrevista em Karachi para a estação de tevê por satélite árabe Al-Jazira. A entrevista foi divulgada na semana passada, mas a tevê diz que ela foi filmada em junho.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.