Cinegrafista britânico foi morto por soldados dos EUA

O governo dos Estados Unidos informou na noite deste domingo que o cinegrafista da agência britânica de notícias Reuters, Mazen Dana, de 41 anos, foi morto por soldados norte-americanos quando trabalhava na cobertura de um ataque à prisão Abu Gharib, em Bagdá, que deixou 6 mortos e 59 feridos.O porta-voz do Pentágono, tenente-coronel Ken McClellan, disse que ainda não tem detalhes do incidente, mas sugeriu que tenha sido um erro de identificação, já que Mazen é palestino. "Em princípio não ficou evidente que se tratava de um jornalista", afirmou o porta-voz. "Se dispararam foi porque confundiram sua identidade". Mazen, que era pai de quatro filhos, trabalhava para agência britânica há mais de 10 anos, principalmente no Oriente Médio.Em Londres, o diretor de informação internacional da Reuters, Stephen Jukes, disse que "Mazen era um dos melhores cinegrafistas" do grupo. "Era um jornalista valente. Estava disposto a cobrir os acontecimentos onde estes ocorressem".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.