AP
AP

Cinegrafista húngara admite agressão, mas não pede desculpas

Partidos de oposição apresentam denúncia penal contra Petra Laszlo por derrubar e chutar refugiados

O Estado de S. Paulo

09 Setembro 2015 | 21h51

BUDAPESTE -  A cinegrafista húngara flagrada derrubando um imigrante com uma criança no colo e chutando outros dois refugiados, entre eles uma menina, que corriam da polícia admitiu sua ação, mas não pediu desculpas, disse a emissora para a qual ela trabalhava. A TV rede privada N1TV demitiu Petra Laszlo depois do incidente.

As imagens das agressões, filmadas por outro cinegrafista no campo de refugiados da cidade húngara de Roszke, na fronteira com a Sérvia, provocaram numerosas críticas. 

A página Muro da Vergonha no Facebook, que apresenta fotos, vídeos e comentários relacionados às agressões cometidas por Petra, recebeu 16 mil "curtidas" na tarde desta quarta-feira.

Dois pequenos partidos de oposição húngaros apresentaram uma denúncia penal contra Petra, horas após as imagens começarem a circular nas redes sociais na terça-feira à noite. Não se sabe se a polícia vai abrir uma investigação. / AFP e EFE

Mais conteúdo sobre:
Petra cinegrafista Hungria agressão chutes

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.