Cingapura perde cientista que participou da clonagem de Dolly

O cientista britânico AlanColman, que participou da clonagem da ovelha Dolly, está saindode Cingapura, o que significa mais um revés para o setor debiotecnologia dessa cidade-Estado. Colman, que se deixou atrair por Cingapura devido àconcessão de verbas e de instalações de pesquisa, hoje comandaum consórcio do país que trabalha com células-tronco. O cientista deve partir em maio próximo para ingressar noCentro de Células-Tronco do King's College, em Londres, afirmouem um comunicado a Agência para a Ciência, a Tecnologia e aPesquisa (A*star), da cidade-Estado. O anúncio segue-se à divulgação de notícias em setembrosobre a partida, no começo de 2008, de dois outros cientistasbritânicos de destaque, David e Birgitte Lane, o que corroboraas críticas do Banco Mundial sobre o esforço de biotecnologiade Cingapura depender excessivamente de cientistas"itinerantes" que poderiam sair dali de uma hora para outra. Nos últimos cinco anos, Cingapura investiu mais de 3bilhões de dólares em seu setor de biomedicina, gastandogenerosamente com empresas recém-formadas, novos laboratórios esalários para cientistas de peso como Colman e o casal Lane. Colman, que chegou a Cingapura em 2002, afirmou à Reutersem um email que dividirá seu tempo entre Cingapura e Londres,gastando cerca de um quarto dele no país asiático. "Quando eu me mudar para Londres, haverá, segundo acredito,benefícios científicos para Cingapura", afirmou à Reuters, naterça-feira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.