Cinzas de vulcão islandês se afastam e Irlanda reabre aeroportos

Autoridades, porém, alertam que poeira deve provocar mais interrupções no tráfego aéreo

Agência Estado

07 Maio 2010 | 09h43

Aeroportos irlandeses enfrentaram acúmulo de passageiros nos últimos dias.

 

DUBLIN - A Irlanda reabriu seus aeroportos no leste do país nesta sexta-feira, 7, após um breve fechamento por causa de outra nuvem de cinzas vulcânicas. Há, porém, um alerta de que essas cinzas ainda possam provocar novas interrupções no tráfego aéreo do país.

 

A Autoridade de Aviação Irlandesa, que na madrugada havia suspendido as operações aéreas em seis terminais, decidiu retomá-las quando soube que a nuvem havia se afastado da costa do Atlântico.

 

O vulcão Eyjafjallajokul, na Islândia, lançou uma nuvem de cinzas que se aproximou da costa leste irlandesa, mas uma mudança no vento permitiu a reabertura dos aeroportos. "Ainda que os ventos do norte mantenham a maior parte da nuvem fora, no Atlântico, o aumento do tamanho da nuvem segue representando um risco, especialmente se mudar o vento", disse a autoridade em comunicado.

 

O Eurocontrol, órgão que regula as rotas aéreas das linhas comerciais na Europa, informou que o acúmulo de cinzas era um novo obstáculo para a navegação. A nuvem sobe gradualmente para 10.500 metros e está chegando à altitude normal dos aviões em rotas transatlânticas. Até poucos dias, a cinza permanecia abaixo dos seis mil metros.

 

Os céus da Europa enfrentaram uma série crise, entre 14 e 20 de abril, quando a cinza lançada pelo vulcão Eyjafjallajokul levou ao cancelamento de cerca de cem mil voos. Dez milhões de passageiros foram afetados pelo problema.

Mais conteúdo sobre:
vulcão Islândia Irlanda aeroportos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.