Cinzas do Popocatepetl fecham aeroporto mexicano

Autoridades mexicanas fecharam o aeroporto da cidade de Puebla, a quarta maior do país, pela segunda vez nesta semana, depois de suas pistas terem ficado cobertas de cinzas expelidas pelo vulcão Popocatepetl.

AE, Agência Estado

10 Maio 2012 | 17h53

"A razão do fechamento é a presença, novamente, de cinzas nas pistas", disse Fernando Manzanilla, secretário-geral de Puebla, que declarou também que as autoridades decidiriam, ainda nesta quinta-feira, quando as operações seriam retomadas.

Na quarta-feira, o aeroporto foi aberto após ter ficado fechado por 14 horas, tempo necessário para a limpeza das cinzas e pedras do vulcão.

Desde que voltou à atividade, várias semanas atrás, ele tem expelido gás e rochas incandescentes a uma distância de até 1,6 quilômetros de sua cratera.

Um porta-voz do serviço federal aeroportuário disse que o aeroporto foi fechado como medida de precaução. O aeroporto fica a cerca de 30 quilômetros do vulcão, que tem 5.450 metros de altura.

Segundo Herbert Lopez Palma, as cinzas poderiam representar um risco para pousos e decolagens. Segundo o Centro Nacional de Prevenção de Desastres, já foram registradas 15 erupções de cinzas, vapor e algumas rochas incandescentes. As informações são da Associated Press e da Dow Jones.

Mais conteúdo sobre:
México vulcão Popocatepetl

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.