Russian Emergencies Ministry / AFP
Russian Emergencies Ministry / AFP

Cirurgiões russos operam paciente com peito aberto em meio a incêndio em hospital

Fogo começou no telhado de hospital construído em 1907; 128 foram retirados do local e ninguém se feriu

Redação, O Estado de S.Paulo

02 de abril de 2021 | 15h00
Atualizado 02 de abril de 2021 | 18h58

MOSCOU - Cirurgiões russos realizaram uma façanha nesta sexta-feira, 2, ao terminar, com sucesso, uma cirurgia cardíaca em um paciente de peito aberto em um hospital em chamas em Blagoveshchensk, uma cidade localizada no extremo leste da Rússia. Para continuar operando, os cirurgiões precisaram instalar um cabo elétrico do exterior e ventiladores para tirar a fumaça, disseram as equipes de resgate.

O hospital é o único na região com uma unidade especializada em cardiologia. “Não podíamos interromper a operação, aquela pessoa tinha de ser salva e fizemos tudo no mais alto nível. A operação foi concluída completamente e sem dificuldades”, disse o cirurgião Valentin Filatov ao canal de televisão Rossiya 24. 

O incêndio obrigou a retirada de 128 pessoas do hospital, mas os cirurgiões que estavam trabalhando decidiram ficar até o fim da operação, que durou aproximadamente duas horas. A equipe que realizou a cirurgia – que havia acabado de começar quando teve início o incêndio – era composta por oito pessoas. 

“Não houve momento de pânico”, disse a enfermeira Antonina Smolina, da equipe cirúrgica. “O controle do incêndio foi complicado pelo fato de que o fogo estava ativo em toda a superfície, ou seja, 1.600 metros quadrados”, explicou Konstantin Rybalko, vice-diretor do Serviço de Situações de Emergência da região. 

Após a operação, a equipe médica esvaziou o local em chamas e o paciente foi transferido para outro hospital da cidade. 

“O paciente está estável e não corre risco de morrer. Agora ele está se recuperando em uma UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) de um hospital local”, disse uma fonte à agência russa Interfax.

O Ministério de Emergências da Rússia informou que o hospital foi construído em 1907, na era czarista, e o incêndio “se espalhou como um raio pelos telhados de madeira”. Acredita-se que um curto-circuito tenha provocado o incêndio.

O fogo foi finalmente controlado sem nenhuma vítima. O governador regional de Amur, Vasily Orlov, elogiou o profissionalismo da equipe cirúrgica e os bombeiros por apagarem o incêndio. As autoridades municipais anunciaram que vão homenagear a equipe médica e os bombeiros./ AFP e Reuters

Tudo o que sabemos sobre:
Moscou [Rússia]Rússia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.