Cisão na base aliada ameaça obrigar Berlusconi a convocar eleição antecipada

Com deputados e senadores da base governista rebelados, o primeiro-ministro da Itália, Silvio Berlusconi, tem sua coalizão ameaçada e pode ser obrigado a convocar eleições antecipadas. Um grupo de 33 deputados e 10 senadores abandonou o partido e se uniu a Gianfranco Fini - ex-aliado de Berlusconi, fundador do Partido do Povo da Liberdade (PPL), do premiê, e presidente da Câmara dos Deputados. A oposição de esquerda quer um governo de transição até 2013, quando ocorreriam eleições gerais.

, O Estado de S.Paulo

31 de julho de 2010 | 00h00

Na quinta-feira, o primeiro-ministro expulsou Fini do PPL e pediu que deixasse a presidência do Legislativo. Berlusconi, porém, esperou até a votação e a aprovação de seu pacote de austeridade de 25 bilhões para expulsar seu ex-aliado. Para o primeiro-ministro, Fini foi um "traidor e conspirador que queria levar o partido à morte".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.