Cisjordânia: Sharon defende bloqueio de territórios

O primeiro-ministro de Israel, Ariel Sharon, defendeu nesta segunda-feira o bloqueio da cidade palestina de Ramallah, na Cisjordânia, para impedir um possível ataque de palestinos contra israelenses que moram em um setor da cidade. O anúncio aconteceu um dia depois que membros da Autoridade Palestina (AP) acusaram o novo governo israelense de estar transformando as cidades sob controle árabe em campos de prisioneiros. O primeiro-ministro acusa o líder palestino, Yasser Arafat, de não tomar providências para deter a onda de violência nos territórios da Cisjordânia e na Faixa de Gaza, que começaram em setembro do ano passado e já causaram a morte de aproximadamente 400 pessoas. Por causa da onda de violência, Sharon afirmou que não será possível manter diálogos com Arafat. Desde que assumiu o cargo de primeiro-ministro de Israel, há uma semana, esta é a primeira vez que Sharon faz uma análise crítica sobre o adversário. Ele também negou a possibilidade de se encontrar com o líder palestino.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.