Ciudad Juárez registra 3.000º homicídio de 2010

Ano é o mais sangrento da história da cidade; em 2007, número de mortes foi de 300 em todo o ano

estadão.com.br

15 de dezembro de 2010 | 10h35

CIUDAD JUÁREZ - A cidade mexicana de Ciudad Juárez, que faz fronteira com El Paso, no Texas (EUA), registrou na terça-feira, 14, seu 3.000º homicídio em 2010, informa a agência de notícias CNN. O número é dez vezes maior que a taxa registrada no município há alguns anos.

 

Há pouco mais de duas semanas do fim de 2010, a cidade registrou o pior índice de homicídios de sua história neste ano, segundo um porta-voz do promotor-geral do Estado de Chihuahua.

 

Segundo o porta-voz, na segunda-feira o número de homicídios estava em 2.998. Com os dois assassinatos ocorridos na terça-feira, a marca de 3 mil foi atingida. As mortes ocorreram em incidentes separados, mas ambas as vítimas eram homens e foram mortos a tiros.

 

Antes da escalada da violência do narcotráfico na cidade, que tem cerca de 2,5 milhões de habitantes, em 2008, o pico de mortes em um único ano era de 300. Segundo o porta-voz, essa marca foi atingida em 2007. Nos anos seguintes, o número total de mortes passou para perto de 1.500 e, em 2009, para 2.656.

 

No total, 28 mil pessoas morreram em todo o México nos últimos quatro anos, desde que o presidente Felipe Calderón lançou uma ofensiva contra os cartéis, em dezembro de 2006.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.