Civis em Falluja começam a receber ajuda

Ajuda humanitária começa a chegar a Falluja depois do ataque à cidade por tropas americanas no início do mês, quando morreram mais de 2 mil pessoas. O Crescente Vermelho do Iraque disse à BBC que agora consegue prestar assistência a civis em Falluja diariamente.Comboios com carregamentos de comida, água, remédios e cobertores estão se movimentando pela cidade. No entanto, água encanada e eletricidade ainda não foram restauradas na cidade e não está claro quantos civis ficaram na cidade durante o ataque.Segundo o Crescente Vermelho, em apenas uma rua, 60 pessoas saíram para buscar ajuda. O presidente da organização, Said Haqi, disse que tinha instalado um posto do Crescente Vermelho perto do centro da cidade. Ele descreveu como um homem de mais de 50 anos se aproximou para pedir ajuda depois de ter ficado em sua casa por um mês. Ele aparentemente estava sobrevivendo com água e açúcar.O Crescente Vermelho diz que a situação é difícil, mas não é catastrófica. Até agora não houve surtos de doenças, mas a destruição é generalizada. É pior na área industrial, mas em toda a cidade, pelo menos um terço dos prédios precisam ser reconstruídos. Said acredita que serão necessários até dois meses para que os cerca de 250 mil civis que fugiram da cidade possam voltar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.