Civis fogem de cidade sudanesa após ação de tropas

Abyei, na fronteira entre norte e sul, foi atacada pelas Forças Armadas do governo central do Sudão

Agência Estado

23 de maio de 2011 | 10h37

JUBA - A fronteiriça cidade sudanesa de Abyei está em chamas, com homens armados saqueando propriedades, após ela ser capturada por tropas do governo central do Sudão, afirmaram nesta segunda-feira, 23, mantenedores de paz da Organização das Nações Unidas (ONU). Milhares de civis fugiram para o sul, após as Forças Armadas do norte do Sudão, apoiadas por tanques, tomarem o controle da cidade no sábado.

A missão da ONU no Sudão afirmou que o governo em Cartum era responsável por garantir a lei e a ordem no distrito sob seu controle. A entidade condenou os saques e as casas queimadas, em atos cometidos por "elementos armados na cidade de Abyei", segundo comunicado. A missão da ONU pediu que as Forças Armadas do Sudão intervenham na crise para interromper "esses atos criminosos".

Em breve, o sul do Sudão se tornará independente da parte norte do país. A administração do sul sudanês reivindica o distrito de Abyei, que tem um status especial sob um acordo de paz em 2005, o qual encerrou uma guerra civil de 22 anos e qualifica a ocupação da cidade de "ilegal".

A tomada de Abyei, realizada meses antes do reconhecimento internacional da independência do sul, previsto para julho próximo, foi condenada pelas potências mundiais. Segundo esses países, a crise na cidade pode ameaçar a paz entre o norte e o sul do país. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Sudãoconfrontosviolência

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.