Clarín apela de decisão que declarou constitucional nova Lei de Mídia do país

Representantes do Grupo Clarín e do governo de Cristina Kirchner (foto) apresentaram-se na terça-feira diante da Justiça argentina para apresentar apelações contra a decisão do juiz Horacio Alfonso, que declarou constitucional a Lei de Mídia argentina, ainda inaplicável em razão de uma medida cautelar.

O Estado de S.Paulo

24 de janeiro de 2013 | 02h01

O Clarín alegou que a sentença do magistrado é "arbitrária" e contém "graves erros jurídicos". Já o governo interpretou que o juiz considerou a atuação do grupo argentino de mídia "uma atividade de interesse público". Os representantes do governo argentino ainda exigiram que o tribunal emita uma sentença definitiva sobre o caso.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.