''Clarín'' será premiado por defender liberdade

A Associação Nacional de Jornais (ANJ) entregará no dia 27 o Prêmio ANJ de Liberdade de Imprensa de 2011 ao jornal Clarín. A publicação argentina foi escolhida por simbolizar os problemas que os meios de comunicação da Argentina têm sofrido para exercer um jornalismo independente, diante de pressões do governo.

, O Estado de S.Paulo

18 de maio de 2011 | 00h00

"Entendemos que alguns jornais argentinos, não só o Clarín, têm sofrido pressões do governo argentino", explica o diretor executivo da ANJ, Ricardo Pedreira. Segundo ele, outros órgãos de imprensa, como o La Nación, foram prejudicados. "Mas o Clarín tem um histórico contencioso maior. Por isso está sendo premiado como uma espécie de símbolo."

O prêmio de 2011 será entregue ao Clarín na abertura do Fórum Internacional Liberdade de Imprensa e Poder Judiciário, que a ANJ e a SIP realizarão com o Supremo Tribunal Federal, na sede do STF em Brasília.

Instituída em 2008 com o objetivo de homenagear pessoas ou instituições que tenham se destacado na promoção ou defesa da liberdade de imprensa, a premiação já foi concedida ao ministro Ayres Britto, do Supremo Tribunal Federal; ao deputado Miro Teixeira; e à Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.