Clérigo extraditado pelo Reino Unido chega aos EUA

Um clérigo radical egípcio e quatro outros suspeitos de terrorismo chegaram neste sábado aos Estados Unidos, onde serão julgados, após serem extraditados pelo Reino Unido. Horas após o desembarque, dois deles compareceram a um tribunal do estado americano de Connecticut.

EQUIPE AE, Agência Estado

06 de outubro de 2012 | 14h40

Abu Hamza al-Masri, o clérigo extremista, foi trancafiado perto de um tribunal federal de Manhattan para responder a acusações de conspiração com parceiros de Seattle para estabelecer um campo de treinamento terrorista no Oregon e de ter ajudado a raptar 16 pessoas, entre as quais dois turistas americanos, no Iêmen, em 1998.

Os dois que se apresentaram a um tribunal de New Haven, em Connecticut - Syed Talha Ahsan, de 33 anos, e Babar Ahmad, de 38 - declararam ser inocentes da acusação de que teriam fornecido dinheiro, recrutas e equipamento a terroristas no Afeganistão e Chechênia.

Os demais suspeitos são Khaled al-Fawwaz, de 50 anos, natural da Arábia Saudita, e o egípcio Adel Abdul Bary, de 52, que serão julgados por suposta participação nas explosões de duas embaixadas dos EUA na África, em 1998. Os ataques deixaram 224 mortos, incluindo 12 americanos. Eles foram indiciados em um caso que também acusava Osama bin Laden. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Reino Unidoterrorismoextradição

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.