Clérigo muçulmano condenado por assassinato no Reino Unido

O clérigo radical Abu Hamza, de nacionalidade britânica e cuja extradição é pedida pelos Estados Unidos, foi declarado nesta terça-feira culpado de incitação ao assassinato. Hamza era acusado de 16 crimes pelas autoridades do Reino Unido, entre eles recrutar pessoal para assassinar judeus. O clérigo ganhou notoriedade no Reino Unido devido aos violentos discursos contra os valores ocidentais que fazia às portas da mesquita de Finsbury Park, no norte de Londres.Além disso, o clérigo foi considerado culpado por posse de uma gravação com a intenção de incitar ao ódio racial e de ter documentação para ser usada com fins terroristas.Hamza, que perdeu uma mão e um olho no Afeganistão em combate com as tropas soviéticas, tinha dez acusações contra ele em virtude da Lei de Crimes contra a Pessoa.Além da acusação de recrutar pessoal para matar "infiéis" em reuniões públicas, incluindo judeus, Hamza tinha quatro acusações sob a Lei de Ordem Pública de 1986, por "utilizar palavras ameaçadoras, abusivas e insultantes ou ter um comportamento com a intenção de incentivar o ódio racial". Outra acusação contra ele era a posse de vídeos e gravações de conteúdo racista que seriam distribuídos entre militantes radicais.A última acusação contra Hamza correspondia à seção 58 da lei antiterrorista, por ter documento contendo informação que pode ser útil para que uma pessoa cometa ou prepare um ato terrorista. O processo de extradição de Hamza aos EUA está suspenso, à espera do resultado do processo no Reino Unido. Hamza foi detido em Londres em 2004, por solicitação dos EUA, que o acusa de onze crimes de terrorismo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.