Clérigo muçulmano convoca Exército líbio a matar Kadafi

Em decreto religioso transmitido na TV, xeque pede que se atire no ditador líbio

estadão.com.br

21 Fevereiro 2011 | 19h02

Um influente clérigo muçulmano do Catar, de origem egípcia, o xeque Yusef al Qaradawi, emitiu nesta segunda-feira uma fatwa (decreto religioso) na rede de TV Al-Jazira, chamando o exército líbio a assassinar Muamar Kadafi. O ditador líbio está no poder há mais de 41 anos e, neste momento, tem seu posto ameaçado pela série de protestos que varreram o país pedindo sua deposição.

 

Veja também:

mais imagens Galeria:   Veja imagens dos conflitos

especialInfográfico A revolta que abalou o Oriente Médio

blog Radar Global: Acompanhe os protestos na região

 

"Se alguém do exército líbio puder disparar uma bala contra Kadafi para que a Líbia se livre dele, que o faça", declarou o xeque, que também convocou os embaixadores do país a se desligarem do atual regime. As informações são da AFP.

 

Apesar da idade avançada, Qaradawi, de 85 anos, tem considerável influência no mundo árabe. Ele aparece em diversos programas de TV gravados no Catar, em especial aqueles retransmitidos pela Al-Jazira.

 

Conflito.  Na Líbia, o ditador Muamar Kadafi ordenou que aviões militares atacassem manifestantes que, pelo quinto dia, protestam pela sua renúncia. De acordo com testemunhas, ao menos 161 pessoas morreram entre ontem e hoje. Algumas cidades do leste do país, como Benghazi e Bayda, já estão sob controle dos manifestantes, com o auxílio de militares e policiais que mudaram de lado.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.