Clérigo pede que Iraque pare de cooperar com os EUA

O clérigo renegado Muqtada al-Sadr pediu ao exército iraquiano que pare de cooperar com os EUA e disse que os guerrilheiros devem se concentrar em expulsar as forças americanas do país, de acordo com um comunicado divulgado neste domingo.O documento, estampado com o selo oficial de al-Sadr, foi distribuído na cidade sagrada de Najaf, antes de uma celebração convocada pelo líder e que marca o quarto aniversário da queda de Bagdá."Vocês, o exército iraquiano e as forças policiais, não andem com os invasores, porque eles são seus arquiinimigos", disse o pronunciamento, cuja autenticidade ainda não foi verificada.No comunicado, al-Sadr também encorajou seus seguidores - ele tem grande ascendência sobre a maioria dos xiitas e tem aliados no governo - a atacar apenas as forças americanas e não os compatriotas iraquianos."Deus ordenou que vocês sejam pacientes frente ao inimigo, e que unifiquem seus esforços contra eles e não contra os filhos do Iraque", diz o comunicado.Demonstração de forçaMilhares de iraquianos estão se dirigindo à cidade sagrada deNajaf para uma demonstração na segunda-feira, dia 9, que marca o quarto aniversário da queda de Bagdá.Testemunhas disseram que milhares de habitantes da maior favela xiita de Bagdá, Sadr, entraram em ônibus e minivans rumo a Najaf para o protesto."Os fiéis deveriam participar de uma manifestação em Najaf, no dia 9 de abril, pedindo que os invasores se retirem de nossas terras. Eles devem carregar ou usar bandeiras iraquianas", disse um comunicado divulgado pelo escritório de al-Sadr.Neste domingo, bandeiras iraquianas eram exibidas na maioria das casas e lojas em Sadr. Motoristas e motociclistas mostravam-nas em seus veículos. A polícia escoltou comboios de caminhões com jovens exibindo bandeiras iraquianas, na rota para Najaf.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.