Clérigo perde recurso contra sua deportação à Jordânia

Um clérigo radical islâmico acusado de ter ligações com o terrorismo perdeu seu recurso contra deportação para Jordânia, segundo informações da Comissão Especial para Apelações de Imigração nesta segunda-feira, 26.Abu Qatada, de 44 anos, também conhecido por Omar Mahmoud Mohammed Othman, é acusado pelo governo britânico de levantar fundos para grupos extremistas e de oferecer "serviços espirituais e legitimação religiosa" para radicais islâmicos que pretenderiam ataques terroristas. O governo de Londres assinou um memorando de entendimento com a Jordânia que garante que Abu Qatada não será submetido a torturas no país árabe se for deportado. Opositores dizem que este acordo oferecido pelo Reino Unido, que não está baseado na lei internacional, não oferece nenhuma garantia.Abu Qatada ficou preso sob leis de antiterrorismo entre 2002 e abril de 2005 no Reino Unido.Os advogados de defesa, no entanto, dizem que as provas usadas contra Qatada fora obtidas por meio de tortura no Afeganistão.Fontes do governo britânico dizem ainda que Qatada também tem ligação com os terroristas Richard Reid e Zacarias Moussaoui, este último que foi o único preso até agora pelo atentado de 11 de setembro nos Estados Unidos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.