Clérigo radical é condenado à perpétua

Um tribunal militar libanês condenou ontem à prisão perpétua o clérigo radical islâmico Omar Bakri por incitar ao homicídio. Bakri foi julgado à revelia por "pertencer a um grupo armado com a intenção de cometer crimes e debilitar a autoridade do Estado". Nascido na Síria, mas com passaporte libanês, ele está impedido de entrar na Grã-Bretanha (onde vivia) por elogiar o 11 de Setembro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.