Clérigo xiita pede novo candidato a premiê no Iraque

Sadr rejeita terceiromandato de Maliki, que sofre pressão para formar governo em meio a impasse parlamentar

BAGDÁ, O Estado de S.Paulo

07 Julho 2014 | 02h01

O clérigo muçulmano xiita Muqtada al-Sadr, influente líder no Iraque, manifestou-se contra a campanha do atual primeiro-ministro, Nuri al-Maliki, também xiita, por um terceiro mandato. O pedido de Al-Sadr vem em meio a um impasse parlamentar em Bagdá na formação de um novo governo.

Segundo o clérigo xiita, a coalizão que atualmente apoia Maliki deveria escolher outro candidato. O premiê tem sido alvo de crescente pressão desde que militantes do Estado Islâmico no Iraque e no Levante (Isil, na sigla em inglês) avançaram sobre o norte e o oeste do Iraque no mês passado. O grupo radical declarou a instauração de um califado nas terras que ele e outros grupos armados sunitas capturaram na Síria e no Iraque - de Alepo a Dyiala.

Em comunicado no sábado, Al-Sadr disse que Maliki "envolveu a si mesmo e a nós em longos conflitos de segurança e grandes crises políticas" e sugeriu que evitar que seu terceiro mandato seria positivo.

Na quinta-feira, Maliki havia garantido que seria candidato citando a vitória de sua coalizão nas últimas eleições legislativas - no fim de abril - e prometeu defender o país dos avanços do Isil. Apesar da vitória, a coalizão de Maliki não obteve maioria e precisa formar o governo com outros grupos - o que tem se mostrado difícil.

Embora defenda a substituição de Maliki, o clérigo xiita Al-Sadr reconhece a vitória de sua coalizão, chamada Estado de Direito, e aceita que o novo premiê seja indicado por ela.

Estados Unidos, Irã e a ONU vêm pedindo que os políticos iraquianos resolvam o impasse para poder fazer frente ao avanço do Isil. / REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.