Clérigos protestam contra liberdade para convertido

Centenas de pessoas, em sua maioria clérigos, manifestaram-se hoje na cidade afegã de Mazar-e-Sharif contra a possível libertação de Abdul Rahman, um muçulmano convertido em cristão, disseram fontes policiais. Após uma forte controvérsia internacional, a Corte Suprema do Afeganistão desprezou ontem o caso contra Rahman, acusado de "rejeitar o Islã", crime pelo qual poderia ter sido condenado à pena de morte, e espera-se que possa ser libertado em breve. Em Mazar-e-Sharif (norte do Afeganistão), cerca de 500 pessoas protestaram hoje contra esta decisão e gritaram palavras de ordem contra os países ocidentais, que tinham pressionado a favor da libertação do converso. Um porta-voz da Polícia dessa localidade disse hoje a EFE que a manifestação era pacífica, mas foi deslocado para a área um grande contingente de forças de segurança para "evitar possíveis tensões". O protesto foi convocado pelos ulemás e a ela se uniram vários habitantes da cidade. Abdul Rahman, de 41 anos, converteu-se ao cristianismo quando tinha 25 anos e foi acusado de apostasia por "rejeitar o Islã", crime que no Afeganistão, um país de arrasadora maioria muçulmana, é castigado com a execução.

Agencia Estado,

27 Março 2006 | 05h13

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.