Hassan Ammar/AP
Hassan Ammar/AP

Clérigos sauditas declaram terrorismo 'crime hediondo'

O conselho religioso também afirmou que os que cometem atos de terrorismo, inclusive militantes do Estado Islâmico, devem ser punidos de acordo com a lei islâmica

Estadão Conteúdo

17 de setembro de 2014 | 15h49

O principal conselho de clérigos da Arábia Saudita emitiu, nesta quarta-feira, um fatwa - decreto religioso e legal islâmico - declarando o terrorismo "crime hediondo". O órgão também afirmou que os que cometem atos de terrorismo, inclusive militantes do Estado Islâmico, devem ser punidos de acordo com a lei islâmica.

O Conselho dos Sábios Religiosos anunciou apoio aos esforços da Arábia Saudita para rastrear pessoas que seguem não só o grupo Estado Islâmico, mas também a Al-Qaeda e o grupo rebelde xiita Hawthi, que atua no Iêmen. Os clérigos afirmam que as autoridades têm de punir os que instigam conflitos, pois eles cometem "o maior dos pecados". Os conselheiros são nomeados pelo governo saudita e são vistos como guardiães da escola conservadora do Islã, Wahhabi. O rei saudita Abdullah já havia pedido que o conselho se posicionasse mais fortemente contra o terrorismo. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
Arábia Sauditaislãterrorismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.