Clinton defende medicamentos genéricos

O ex-presidente dos Estados Unidos Bill Clinton, em visita a São Paulo, elogiou o programa brasileiro de combate à Aids e defendeu que o modelo, que inclui distribuição de coquetel triplo de medicamentos contra a doença a pessoas carentes, sirva de exemplo para ser adotado por outros países. "O importante é distribuir a medicação a preços baixos", disse Clinton, que defendeu também adoção dos medicamentos genéricos. A lógica do ex-presidente é que se não houver redução nos casos de Aids em todo o mundo, a interdependência mundial, expressão que foi a base da palestra "Nosso Futuro Compartilhado: a Globalização no Século XXI", vai gerar um resultado negativo. Clinton defende que ações de saúde, educação e de redução da pobreza sejam adotadas o quanto antes, caso contrário os resultados da globalização serão negativos. Clinton também defendeu um esforço maior de todos os países para garantir o suprimento mundial de água, um dos maiores problemas que o planeta enfrentará nos próximos 30 anos. "Pelo menos metade das economias globais serão afetadas pela carência de água" , disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.