Clinton e Biden assumem ações eleitorais

De volta a Washington para enfrentar a tempestade que atingiu a Costa Leste poucos dias antes da eleição, o presidente dos EUA, Barack Obama, passou a bandeira de campanha ao vice-presidente Joe Biden e ao homem que ele ungiu como "secretário para explicar as coisas", o ex-presidente Bill Clinton.

WASHINGTON, O Estado de S.Paulo

31 de outubro de 2012 | 02h01

Biden e Clinton uniram forças, na segunda-feira, em comício no Estado de Ohio, onde procuraram manter viva a estratégia de campanha de Obama de misturar comícios e contatos diretos com os eleitores, numa tentativa de incentivar a votação antecipada nos candidatos democratas antes da eleição do dia 6.

Obama retornou à Casa Branca de uma viagem de campanha à Flórida para lidar com a tempestade Sandy, que passou pela Costa Leste. "Nós fomos para a Flórida, na noite passada, e ele se levantou de manhã, me chamou e disse: 'Eu tenho de voltar agora. Essa tempestade está ficando fora de controle, eu tenho de lidar com isso'", disse Clinton à multidão de 4,8 mil pessoas no Centro Covelli, uma pista de gelo em Youngstown. "E eu disse: 'Sr. presidente, essa é a decisão certa'."

Clinton citou Obama por meio de histórias e de piadas, personalizando o presidente enquanto corria por uma lista de argumentos contra o candidato republicano, Mitt Romney. Clinton brincou que o público tinha de se contentar com só ele, já que sua mulher, a secretária de Estado, Hillary Clinton, "tem um dos dois postos de trabalho no governo que não lhe permitem participar da vida política". / REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.