Clinton e Obama sairão em busca de 'voto religioso'

Os pré-candidatos democratas àPresidência dos EUA, Barack Obama e Hillary Clinton, tentarãocortejar o "voto religioso" em um fórum a ser realizado nestefim de semana, buscando obter apoio junto a um grupo deeleitores que possui uma grande influência dentro do cenáriopolítico norte-americano. Os organizadores do evento afirmam que o fórum, a sertransmitido para o país todo por canais de TV e que acontece nodomingo à noite na Faculdade Messias, perto de Harrisburg(Pensilvânia), permitirá aos candidatos discutir como areligião participa de suas posturas em questões como a pobrezano mundo, a Aids, as mudanças climáticas e o aborto. A religião desempenha um papel muito maior no jogo políticodos EUA do que em outros países do mundo desenvolvido,refletindo as taxas relativamente altas de comparecimento àigreja e de adesão a uma fé ou outra pelos norte-americanos. "É improvável que em qualquer outro lugar do mundo,candidatos à Presidência se sentissem compelidos a responderperguntas de grupos religiosos", afirmou Mathew Wilson,cientista político da Universidade Metodista do Sul em Dallas. "Em muitas sociedades européias, vários políticosmostram-se relutantes em discutir suas convicções religiosaspublicamente. Mas aqui nos EUA esperamos que eles façam isso." O fórum deve ser acompanhado de perto, já que ocorre umasemana antes das determinantes prévias democratas marcadas paraocorrer na Pensilvânia, no dia 22 de abril. O comitê de campanha de Obama aposta que um bom desempenhodo pré-candidato nessa votação fará com que a disputa pela vagado Partido Democrata nas eleições presidenciais de novembrodecida-se a favor dele. Mas o fórum dirige-se também ao eleitorado do restante dopaís. O candidato do Partido Republicano, John McCain, seránotado por sua ausência do evento, apesar de a legenda dele terlaços mais profundos com o "voto religioso" do que o PartidoDemocrata -- especialmente entre os protestantes evangélicosque respondem por 25 por cento dos adultos norte-americanos. McCain não aceitou o convite para participar do fórum,organizado pelo grupo Fé na Vida Pública, um centro de pesquisaapartidário. O evento deve atrair ativistas religiosos de todoo espectro político e uma gama variada de cristãos bem comolíderes judeus e muçulmanos. O movimento evangélico vem ampliando sua agenda para alémdas questões "mais polêmicas" tais como a oposição ao aborto eao casamento entre pessoas do mesmo sexo, questões essas queajudaram o atual presidente do país, George W. Bush, aconquistar o voto dos republicanos cristãos e conservadores naseleições de que participou. Os tópicos a serem discutidos no fórum refletem essamudança e alguns consideram que McCain errou ao não aceitar oconvite para participar dele, quando então poderia tentarconquistar votos entre os evangélicos menos conservadores. Os cristãos conservadores vêem o candidato republicano comalguma suspeita por vários motivos, entre os quais seu apoio,no passado, às pesquisas com células-tronco.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.