Clinton promete lutar para eleger Obama

O ex-presidente Bill Clinton completou hoje o movimento iniciado na véspera por sua mulher, Hillary, avalizando Barack Obama como o candidato capaz de liderar o país e de garantir a segurança nacional. Falando na condição de quem ocupou o cargo por oito anos (1993 a 2000), Clinton procurou demonstrar que superou os atritos que teve com Obama durante as primárias, quando o candidato negro o acusou de tentar trazer para a campanha o tema racial. ?Estou aqui em primeiro lugar para apoiar Barack Obama e em segundo para esquentar a multidão para Joe Biden?, disse ele, referindo-se ao candidato a vice. Clinton brincou, numa menção velada aos atritos com Obama durante as primárias: ?A campanha gerou tanto calor que aumentou o aquecimento global. No fim, minha candidata não venceu, mas estou muito orgulhoso da campanha que ela conduziu?, disse, olhando para Hillary.O ex-líder também falou contra o governo de George W. Bush. ?Nossa nação está com problemas em duas frentes: o sonho americano está sob cerco em casa, e a liderança da América no mundo foi enfraquecida.? Clinton passou a enumerar os problemas da classe média e dos pobres: desemprego, desigualdade, devolução das casas por inadimplência das hipotecas e aumento dos preços dos alimentos e da gasolina. No plano internacional, Clinton acusou Bush de ?excesso de unilateralismo e falta de cooperação?.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.