Clinton resolve se instalar no Harlem

Acusado de esbanjar dinheiro docontribuinte, o ex-presidente americano Bill Clinton desistiu dealugar um escritório no edifício Carnegie Hall Tower, no centrode Manhattan, e optou por instalações bem mais modestas ebaratas no Harlem - apontado como um dos bairros mais pobres eperigosos de Nova York - informou a porta-voz dele, JuliaPayne. Por um escritório de 772 metros quadrados no Carnegie, Clintonia pagar aluguel anual de US$ 739 mil - metade com recursos desua fundação e metade com a ajuda do Tesouro americano que elerecebe como ex-presidente. No Harlem, ele poderá ocupar um escritório de 650 metrosquadrados num edifício de 14 andares, pagando aluguel anual deUS$ 210 mil. O ex-presidente havia escolhido o Carnegie por causa davizinhança (ricos empresários, produtores de cinema,restaurantes luxuosos e a famosa sala de concertos do Carnegie)e da paisagem - uma magnífica vista do Central Park e da PonteGeorge Washington. No Harlem, ele terá como vizinhos funcionários do Departamentodo Tesouro, de organizações sociais e do serviço de recrutamentoda Marinha. O prédio fica na rua 125, a dois quarteirões doTeatro Apolo - histórica casa de espetáculos da comunidade negranova-iorquina. O Harlem recebeu com satisfação a decisão deClinton, que teria atendido a sugestão do deputado democratanegro Charles Rangel. A população, constituída de negros ehispânicos, acha que a vida ali agora vai melhorar, atraindomaiores investimentos para as obras de renovação do bairro(iniciadas há dez anos) e para o setor de segurança pública. Antes da mudança de Clinton, agentes do FBI farão uma detalhainspeção no prédio, de onde se avista também o a área sul doCentral Park e as torres do Carnegie. A porta-voz Julia Payne garante que a decisão de Clinton nãofoi motivada por questões financeiras, mas, segundo o jornal TheNew York Times, as críticas da opinião pública pesaram mais quequalquer outra coisa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.