CNN dá como certa a vitória democrata nos EUA

Pela primeira vez desde a "revolução republicana" de 1994, os democratas vão controlar o Congresso norte-americano. Esta é a previsão da rede de tevê norte-americana CNN, cujas projeções apontam que o Partido Democrata deve ter uma vantagem de 30 cadeiras diante do Partido Republicano no Congresso. O controle do Senado segue indefinido. "Esta noite é uma grande vitória para o povo americano", disse a líder dos democratas no Congresso, Nancy Pelosi, cotada para ser a primeira mulher a presidir o Congresso na história dos EUA. "Os americanos votaram em uma nova direção", disse. Em seu primeiro pronunciamento, a deputada defendeu a "civilidade e o bipartidarismo" durante o pleito americano, mas confrontou Bush com um de seus pontos delicados durante a campanha: "Senhor presidente, nós precisamos de uma direção no Iraque." A projeção apontada pela CNN aponta que, pela primeira vez em seu governo, o Partido Republicano, de Bush, não será a maioria na Câmara dos Deputados. De acordo com auxiliares próximos de Bush, cuja taxa de aprovação pública tem desmoronado e demonstrado o declínio republicano nos EUA, o presidente está desapontado com os resultados. No entando, de acordo com o porta-voz da Casa Branca, Tony Snow, o presidente ainda está otimista com o resultado no Senado". O Congresso norte-americano é bicameral, ou seja, possui duas câmaras, ambas com o mesmo poder: a "câmara baixa", de deputados, que representa a população como um todo, e a "câmara alta", o Senado, dos representantes dos estados como instituição. Além de formularem leis e avaliarem projetos vindos do Senado e da Presidência da República, os deputados são os únicos que podem dar início a processos de impeachment. Também é responsabilidade da Câmara dos Representantes a votação sobre criação ou aumento de impostos e taxas. Qualquer americano que tenha adquirido a cidadania há mais de sete anos e que seja maior de 25 anos pode se candidatar ao cargo. O Senado norte-americano é composto por 100 cadeiras, e cada Estado tem dois representantes. Os mandatos duram 6 anos, e a cada eleição 1/3 dos assentos são renovados. Esse sistema garante que nunca ambas as cadeiras de um estado sejam renovadas em uma mesma eleição. Além da função legislativa, o Senado tem a função de aprovar ou rejeitar indicações executivas a cargos de alto escalão ou embaixadores, além de votar a definição de tratados. Para concorrer ao cargo, o candidato deve ter mais de 30 anos e ser cidadão americano há, no mínimo, 7 anos. Como no sistema brasileiro, as leis formuladas pelo Senado devem ser aprovadas pelos deputados, e vice-versa. Os governadores são escolhidos por eleição direta. Nas eleições de 2006, serão escolhidos governadores em 36 estados norte-americanos. O mandato é de quatro anos, embora em alguns estados seja de dois anos. Entre as responsabilidades do governador estão as leis trabalhistas, industriais, penais e as regulamentações sobre propriedade e comunicações, entre outras atribuições. A legislação estadual, no entanto, não pode infringir leis federais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.