Coalizão ataca Estado Islâmico perto da fronteira turca

Ataques aéreos da coalizão liderada pelos Estados Unidos tiveram como alvo nesta terça-feira combatentes do grupo Estado Islâmico, que avançam contra uma cidade curda perto da fronteira entre Síria e Turquia, informaram ativistas.

Estadão Conteúdo

30 de setembro de 2014 | 12h50

A cidade fronteiriça de Kobani, também conhecida como por seu nome árabe, Ayn Arab, e vilas próximas estão sob ataque do Estado Islâmico desde meados de setembro. Os combates levaram cerca de 150 mil curdos a fugir para a Turquia, um dos maiores êxodos individuais da guerra civil síria, que está em seu quarto ano.

A eficiência do ataque em conter o avanço dos militantes islâmicos não estava clara. Nos últimos dias, os extremistas entraram cerca de cinco quilômetros no território da cidade e começaram a atacá-la com morteiros e disparos de artilharia.

O Observatório Sírio pelos Direitos Humanos, grupo ativista sediado em Londres, disse que os ataques atingiram combatentes do Estado Islâmico no leste e oeste de Kobani nesta terça-feira. Os Comitês de Coordenação Locais (CCL), outro grupo ativista, confirmaram a realização dos ataques aéreos nas proximidades da cidade.

Os dois grupos atribuíram os ataques à coalizão liderada pelos Estados Unidos que, assim como seus aliados, não haviam confirmado as ações.

Em solo, os confrontos desta terça-feira se concentrou na parte leste de Kobani, disse Ahmad Sheikho, ativista que opera na fronteira entre Síria e Turquia. Ele disse que membros da milícia curda local destruíram dois tanques pertencentes ao Estado Islâmico.

A situação em Kobani era "muito difícil", segundo Nawaf Khalil, porta-voz do partido União Democrática Curda (PYD).

Nas proximidades de Kobani, militantes do Estado Islâmico capturaram nesta terça-feira a vila deserta curda Siftek e aparentemente a estavam usando como quartel-general, de onde podem lançar ataques contra Kobani.

Os combates podiam ser vistos do topo de um morro no lado turco da fronteira, na região de Karacabey.

O Observatório disse que os confrontos nas proximidades de Kobani deixaram 57 mortos somente na segunda-feira, dentre eles combatentes curdos e militantes do Estado Islâmico.

Em outros pontos da Síria, o Observatório relatou ataques aéreos num campo pertencente ao Estado Islâmico na província leste de Deir el-Zour, que faz fronteira com o Iraque, e perto da cidade de Tel Abyad, que é comandada pelos extremistas e fica na fronteira com a Turquia. Os CCL também relataram ataques contra complexos do Estado Islâmico em el-Zour e na província de Raqqa, ao norte. Fonte: Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.