Coalizão captura general iraquiano; Iraque nega

Forças britânicas que enfrentam paramilitares iraquianos no sudeste de Basra afirmaramhoje ter capturado um general iraquiano e matado um coronel da Guarda Republicana. Outros cinco militares das forças do Iraque foram presos, segundo oficiais britânicos. Os britânicos nãosouberam dizer se o general pertence ao Exército regular ou a alguma divisão paramilitar iraquiana.O capitão Al Lockwood, porta-voz das forças da Grã-Bretanha no Catar, disse que o coronel da Guarda Republicana teria ido a Basra para "tratar de fortalecer a resistência da milícia do Partido Baath e dos paramilitares que agora estão operando na área".As tropas britânicas têm trocado tiros com membros das milícias do Baath, assim como com outros combatentes "irregulares" na cidade de Basra, mas não com a Guarda Republicana - o corpo de elite de Saddam Hussein, comandado pelofilho mais velho dele, Uday -, que se está concentrando mais ao norte do país, especialmente ao redor de Bagdá.Lockwood disse que o general capturado - o prisioneiro de guerra de mais alta patente detido até agora - será tratado "de acordo com as Convenções de Genebra e de acordo com suapatente". O capitão disse ainda esperar obter com o prisioneiro informações que ajudem a coalizão anglo-americana em suas ações. "Daremos ajuda a ele e ele nos ajudará a localizar os locaisonde estão os paramilitares e os destruiremos por causa de suas ações em Basra", disse Lockwood.A emissora de TV via satélite do Catar, Al-Jazira, citou o tenente Walid Hamid Tawfiq, um dos comandantes iraquianos na região de Basra, desmentindo que um general foi capturado e umcoronel morto em combate. Segundo a Al-Jazira, Tawfiq disse que quatro britânicos morreram nos combates que estão sendo travadosem Basra.Lockwood disse que os paramilitares e oficiais iraquianos tentavam deixar o sudeste de Basra em direção oeste, quando depararam com os militares da 3ª Brigada de Comandos da RealInfantaria da Marinha. As forças britânicas cercaram Basra, mas não entraram nacidade, com a esperança de assumir o controle sem a necessidade de combater rua por rua. Veja o especial :

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.