Coalizão da chanceler alemã discorda sobre dívida grega

Berlim, 18 - O ministro de Finanças da Alemanha, Wolfgang Schaeuble, censurou ontem seu colega responsável pelo Ministério de Economia por falar sobre o calote grego, expondo uma rachadura na coalizão da chanceler Angela Merkel.

AE-DJ, Agência Estado

18 Setembro 2011 | 09h18

Schaeuble, que é membro da União Democrata-Cristã (CDU) e um dos mais influentes ministros no gabinete de Merkel, discordou de Philipp Roesler, líder do Partido Democratas Livres (FDP), em uma entrevista à publicação semanal Bild am Sonntag.

Roesler deixou os mercados em pânico na última segunda-feira depois de afirmar que a Europa não pode mais descartar um "default ordenado" pela Grécia na amortização de sua enorme dívida.

Schaueble afirmou que, segundo as instruções de Merkel, o ministro de Finanças se encarregaria dos assuntos ligados ao euro. "A liberdade de expressão prevalece em uma democracia", declarou ele. "Mas o ministro de Finanças que é responsável pela política financeira no governo federal."

A crise da zona do euro levou o FDP a reforçar os ataques aos planos de resgate à Grécia, em uma tentativa de recuperar o apoio eleitoral. O partido aliado CDU perdeu uma série de parlamentos regionais depois de não conseguir assegurar 5% dos votos necessários e pode ter o mesmo a sorte nas eleições que se realizam neste domingo na capital alemã. As informações são da Dow Jones.

Mais conteúdo sobre:
Alemanha Grécia calote

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.