Coalizão de Merkel não conquista maioria dos votos

A coalizão de centro-direita da chanceler alemã Angela Merkel não obteve a maioria absoluta do Parlamento nas eleições nacionais deste domingo, de acordo com os resultados preliminares divulgados nesta segunda-feira pelo Supervisor Federal Eleitoral.

AE, Agência Estado

23 de setembro de 2013 | 03h36

O Partido União Democrata Cristã (CDU, na sigla em alemão), de Merkel, e o Partido União Democrata Cristã (CDU, na sigla em alemão), de Merkel, obtiveram 41,5% dos votos. Com apenas 4,8% dos votos, o Partido Liberal Democrata (FDP), que faz parte da aliança de Merkel, ficou abaixo do limite de 5% necessários para ser representado no Parlamento.

Os opositores Partido Social Democrata (SPD), de Peer Steinbrück, conseguiu 25,7% do apoio popular, enquanto o Partido Verde conquistou 8,4% dos votos. Já o Partido de Esquerda, radical conseguiu 8,6%. O novo partido que pede por um rompimento ordenado da zona do euro, o Partido Alternativa para a Alemanha, teria obtido 4,7% dos votos.

O resultado se traduz em 311 assentos no parlamento para a CDU/CSU, 192 para o SPD, 63 para os Verdes e 64 para a Esquerda.

Dado que os partidos tradicionais excluíram uma coalizão com o Partido de Esquerda, o mais provável cenário para o momento é um governo de coalizão entre os conservadores de Merkel com os social-democratas. Entre 2005 e 2009, a CDU/CSU e o SPD já governaram juntos e dirigiram o país com bastante sucesso em meio à turbulência financeira global.

Um governo de coalizão provavelmente suavizará a postura da Alemanha em relação à austeridade, já que os social-democratas defendem mais políticas que estimulam o crescimento da Alemanha e da zona euro. Fonte: Market News International.

Tudo o que sabemos sobre:
AlemanhjaMerkel

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.