Coalizão de Merkel não deve obter maioria de votos

A coalizão de centro-direita da chanceler Angela Merkel não deve conquistar a maioria dos votos na eleição nacional deste domingo, segundo uma pesquisa divulgada nesta quarta-feira. A leitura aumenta as especulações sobre a formação de um governo de ampla coalizão na Alemanha para os próximos quatro anos.

AE, Agência Estado

18 de setembro de 2013 | 10h49

A pesquisa, conduzida pelo instituto Allensbach para o jornal Frankfurter Allgemeine Zeitung, também mostrou que 41% dos alemães quer uma mudança no governo, enquanto apenas 33% deseja um segundo mandato para a coalizão governista da União Democrata Cristã (CDU, na sigla original), de Merkel, e seu parceiros da União Social Cristã (CSU) e do Partido Liberal Democrata (FDP).

A coalizão de Merkel conseguiu 45% das intenções de votos no levantamento feito com 1.269 pessoas entre os dias 3 e 13 de setembro. Os partidos conservadores de Merkel obtiveram 39% do apoio, enquanto o Partido Liberal Democrata garantiu 6%.

Os partidos de centro-esquerda, da oposição, conseguiram um apoio combinado de 46%, com 26% das intenções de voto para o Partido Social Democrata (SPD), de Peer Steinbrueck, apoio de 11% para os Verdes e 9% para o partido A Esquerda.

A oposição de centro-esquerda, no entanto, não deve formar o próximo governo, uma vez que os social-democratas e os Verdes já descartaram se unir à Esquerda em uma coalizão. Isso deixa a porta aberta para uma ampla coalizão dos partidos conservadores de Merkel e os social-democratas.

"A percentagem de pessoas que quer uma mudança total ou parcial do governo tem aumentado desde o início de agosto" escreveu Renate Koecher, chefe da Allensbach, no jornal FAZ. "Daqueles que irão definitivamente às urnas, 46% são a favor de uma mudança". Fonte: Dow Jones Newswires.

Mais conteúdo sobre:
ALEMANHAELEIÇÃO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.