Yuya Shino/Reuters
Yuya Shino/Reuters

Coalizão do premiê japonês Shinzo Abe vence eleição parlamentar e consegue maioria no Senado

Com a vitória, primeiro-ministro ampliará sua força sobre o partido conservador que ele levou de volta ao poder em 2012, prometendo dar um novo impulso à economia do país

O Estado de S.Paulo

11 de julho de 2016 | 11h47

TÓQUIO - A coalizão governista do primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, obteve uma vitória esmagadora no domingo na eleição para a Câmara alta do Parlamento, apesar das preocupações sobre suas políticas econômicas e planos para revisar pela primeira vez a Constituição pacifista pós-guerra do país.

Contagens finais indicaram que a coalizão de Abe, partidos de posicionamentos semelhantes e candidatos independentes conquistaram a "super maioria" de dois terços necessária para tentar revisar as restrições constitucionais às Forças Armadas, um passo que pode afetar os laços com a China, onde memórias do passado militar japonês ainda são fortes.

O Partido Liberal Democrata (LDP), de Abe, ficou um voto abaixo da maioria simples, que teria aumentado sua influência dentro da coalizão. Projeções anteriores indicavam que a legenda estava ao alcance do partido pela primeira vez desde 1989.

A vitória geral ainda ampliará a força de Abe sobre o partido conservador que ele levou de volta ao poder em 2012, prometendo dar um novo impulso à economia com política monetária pouco rígida, gastos fiscais e reformas.

O Senado japonês realiza eleições parciais a cada 3 anos, nas quais se renovam 121 de seus 242 integrantes por um mandato de 6 anos. A poucas horas do fechamento dos centros de votação, a participação tinha sido de 32,49%, número praticamente idêntico ao pleito de julho de 2013, segundo o Ministério de Interior do país.

Mais de 106 milhões de japoneses maiores de 18 anos foram convocados às urnas em uma jornada eleitoral que começou às 7h locais (19h de sábado em Brasília) e se prolongou até as 20h locais (8h em Brasília). / Reuters e EFE

Tudo o que sabemos sobre:
Shinzo AbeParlamentoJapãoEleições

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.