Coalizão dos EUA diz ter bombardeado comandantes taleban

Milicianos teriam morrido, mas autoridades e moradores locais afirmam que bomba teria matado muitos civis

Agência Estado e Associated Press,

03 de agosto de 2007 | 19h27

A coalizão militar liderada pelos Estados Unidos informou ter promovido um ataque aéreo contra uma reunião de altos comandantes do Taleban no sul do Afeganistão, matando muitos milicianos. Autoridades locais e moradores disseram que as bombas caíram sobre uma concentração pública e dezenas, talvez centenas, de civis teriam morrido.   Num breve comunicado, a coalizão militar afirmou apenas que visava dois comandantes do Taleban quando bombardeou uma reunião de altos militantes na quinta-feira numa área remota do distrito de Baghran, na província sulista de Helmand.   O porta-voz do Ministério da Defesa afegão, general Mohammad Zahir Azimi, disse que no ataque morreram uma dezena de militantes, entre eles três líderes, incluindo o comandante na província de Helmand, mulá Rahim.   O comandante do Taleban para todo o sul do Afeganistão, Dadullah Mansoor, estaria presente no encontro mas não se sabe sobre seu destino, garantiu Azimi. Ele disse que a informação foi passada pelos serviços de inteligência afegãos.   O porta-voz do Taleban, Qari Yousef Ahmadi, negou que mulá Rahim tenha sido morto ou que havia no local uma reunião de comandantes da milícia islâmica.   O chefe provincial da polícia, Mohammad Hussein, afirmou que militantes taleban iam enforcar dois moradores locais acusados de espionar para o governo e muitos populares se concentraram para acompanhar a execução quando as bombas caíram. Ele não quis estimar o número de mortos, mas disse que dezenas de feridos foram levados a hospitais próximos.   Enayatullah Ghafari, chefe do departamento de saúde da província de Helmand, relatou que entre os feridos em hospitais havia crianças de 8 anos.   Um correspondente da rede de tevê árabe Al-Jazira afirmou que centenas de civis podem ter sido mortos.   Nasibullah, um ferido no hospital de Kandahar, contou que as bombas caíram sobre um movimentado mercado. Ele disse que não havia militantes do Taleban no mercado no momento do ataque.

Tudo o que sabemos sobre:
Estados UnidosAfeganistãoTaleban

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.