Coalizão elege Gusmão primeiro-ministro do Timor-Leste

Fernando Lasama vai presidir a câmara; escolhas são feitas à revelia do Fretilin

Efe,

28 Julho 2007 | 07h01

A Aliança Majoritária no Parlamento (AMP), que controla 37 das 65 cadeiras do Legislativo no Timor-Leste, elegeu neste sábado, 28, Xanana Gusmão para ocupar o cargo de primeiro-ministro e Fernando Lasama para presidir a câmara.   A escolha foi feita à revelia da Frente Revolucionária do Timor-Leste Independente (Fretilin), partido mais votado nas eleições legislativas do mês passado.   "Hoje, todos nós, membros da AMP, elegemos Xanana Gusmão como primeiro-ministro e Fernando Lasama de Araújo como presidente do Parlamento, esperando que o presidente José Ramos Horta nos encarregue, na próxima semana, de formar um Governo sem a participação da Fretilin", explicou à Efe o porta-voz da AMP, Cecilio Caminho, em Díli.   A eleição mostra que os partidos que conquistaram representação parlamentar nas eleições de 30 de junho não chegaram a um acordo para formar um governo de união nacional, como pretendia o presidente.   "O Gabinete terá cerca de 30 membros, entre ministros e secretários de Estado", adiantou Caminho.   A AMP reúne o Conselho Nacional para a Reconstrução do Timor-Leste (CNRT), fundado por Gusmão, com 18 deputados, a Coalizão ASDT-PSD, que tem 11, e o Partido Democrata (PD), presidido por Lasama, com oito.   A Fretilin, que governa desde a independência, em 2002, obteve 21 cadeiras nas eleições.   O presidente timorense disse que em meados de na próxima semana anunciará o partido político encarregado de formar um Governo. A Constituição do país estabelece que o presidente peça ao partido mais votado que forme o Executivo.

Mais conteúdo sobre:
Fretilin Timor-Leste Xanana Gusmão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.