Coalizão juvenil egípcia vai disputar eleições

Uma coalizão juvenil egípcia que teve participação importante na deposição de Hosni Mubarak anunciou que irá apresentar candidatos nas eleições parlamentares, para se contraporem aos bem organizados grupos islâmicos e a partidários do antigo regime.

REUTERS

22 Setembro 2011 | 17h03

A Coalizão Juvenil da Revolução do Egito, formada nos primeiros dias da rebelião que derrubaria Mubarak em 11 de fevereiro, disse pela rede social Facebook que terá até 200 candidatos reunidos sob uma lista homônima, como parte do sistema de votação proporcional.

O analista político Nabil Abdel Fattah, no entanto, alertou que a coalizão juvenil pode ter dificuldades "contra coalizões profissionais que conhecem os segredos das urnas".

"Os grupos juvenis não têm dinheiro nem capacidade organizacional, nem as chaves dos distritos eleitorais que lhes permitiriam alcançar as vagas que reflitam verdadeiramente o papel importante que eles desempenharam na revolução egípcia", afirmou.

A eleição para a Câmara dos Deputados começa em 21 de novembro, e para o Senado em 22 de janeiro. Cada pleito ocorre em três etapas, disseram jornais estatais no domingo.

(Por Dina Zayed)

Mais conteúdo sobre:
EGITOJOVENS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.