EFE/MIGUEL GUTIÉRREZ
EFE/MIGUEL GUTIÉRREZ

Coca-cola interrompe produção na Venezuela por falta de açúcar

Em meio a uma das crises econômicas mais graves de sua história, o governo chavista Tem diminuído a oferta de dólar para empresas privadas

O Estado de S. Paulo

24 Maio 2016 | 05h00

CARACAS - A subsidiária venezuelana da multinacional de refrigerantes Coca-Cola interrompeu a produção das bebidas no país em virtude da falta de açúcar, informou a empresa ontem. 

Em meio a uma das crises econômicas mais graves de sua história, o governo chavista, que controla com rigidez o câmbio no país, tem diminuído a oferta de moeda forte para empresas privadas em virtude da diminuição das reservas e da queda do barril de petróleo.

Como a produção interna depende fortemente de insumos importados para a manufatura alimentos, bebidas e remédios, muitos produtos básicos sumiram das prateleiras. O governo acusa a oposição e a iniciativa privada de propositalmente não produzir -  a suposta “guerra econômica”.

Apesar da interrupção na produção de refrigerantes açucarados, a linha de produtos “zero” - feitos sem adição de açúcar - continua, segundo o porta-voz da Coca-Cola Femsa SAB na Venezuela Kerry Tessler. Outras bebidas, como cerveja, também tiveram a produção parcialmente interrompida. / REUTERS 

Mais conteúdo sobre:
Chavismo Venezuela coca-cola

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.