Coca-Cola limita publicidade voltada para o público infantil

A Coca-Cola adotou duasmedidas em dois países diferentes com o propósito de ajudar nocombate da obesidade infantil. Nos Estados Unidos, a empresa secomprometeu a reduzir o fornecimento do refrigerante paraescolas. No Reino Unido, a Coca-Cola não fará mais publicidadedirigida a menores de 12 anos. Segundo a agência de notícia Down Jones, as escolas representam só 1% das vendas da empresa no mercadoamericano. Os adolescentes serem o principal grupo consumidor. Eeles criam a base de seu relacionamento com a marca Coca-Colaenquanto estão na escola. As propostas da Coca-Cola incluem a proibição da venda derefrigerantes a alunos do ensino fundamental. No lugar, seriamvendidos sucos, bebidas lácteas e água mineral da empresa. Já noensino médio, os refrigerantes só serão vendidos em máquinasautomáticas. Alguns especialistas acreditam que as medidas propostas pelaCoca-Cola são insuficientes para gerar resultados efetivos. "Éum bom começo, mas o ideal seria livrar as escolas dosrefrigerantes", disse o pediatra David Roer. A PepsiCo, principal rival da Coca-Cola, segue orietaçãosemelhante. No Reino Unido, a Coca-Cola anunciou que vai deixar de fazerpublicidade dirigida a menores de 12 anos por causa do aumentoda obesidade infantil. A medida inclui a Diet Coke, a Fanta e aSprite. As marcas da Coca-Cola não serão anunciadas durante osprogramas televisivos para crianças.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.