"Cocaleros" unem-se a militares na busca por vítimas na Bolívia

"Cocaleros" e militares, que se enfrentamcotidianamente na Bolívia, trabalhavam solidariamente hoje para tentar resgatar sobreviventes dasenchentes do Rio Chapare, que já causaram meia centena demortes. O ministro de Desenvolvimento Sustentado da Bolívia, JorgeCortez, comentou que os dois grupos enfrentaram-seconstantemente durante os últimos 15 anos, mas hoje aliaram-seespontaneamente para resgatar as vítimas e enfrentar osdesastres. "É uma questão humanitária", destacou o deputado e líder"cocalero" Evo Morales. Na madrugada de terça-feira, o transbordamento do Rio Chaparearrastou uma ponte a 600 quilômetros de La Paz. Um ônibus com 46passageiros e três tripulantes a bordo caiu no rio. Outros trêsveículos, inclusive uma viatura de combate às drogas, tambémforam arrastados pela correnteza, informaram autoridadeslocais. O governador de Cochabamba, Alfonso Camacho, disse hoje que 31cadáveres foram recuperados, seis pessoas foram resgatados comvida e as demais continuam desaparecidas enquanto prosseguem ostrabalhos de resgate.

Agencia Estado,

26 de dezembro de 2003 | 18h28

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.