Colegas de jornalista morto acusam soldados de negligência

Colegas de um cinegrafista da Reuters que morreu ao ser atingido por disparos acusaram os soldados dos EUA de negligência afirmando que o jornalista havia se identificado como profissional da imprensa antes de um tanque atirar em sua direção.Mazen Dana, de 41 anos, morreu após ser atingido por disparos lançados por um tanque enquanto gravava cenas do lado de fora de uma prisão administrada pelos EUA nos arredores de Bagdá. O Exército dos EUA disse que seus soldados confundiram a câmera do cinegrafista com um lançador de granadas.O filme de Dana mostra um tanque vindo em sua direção. Ouvem-se seis disparos e, após primeiro deles, a câmera cai à sua frente.Dana estava cobrindo o local após a prisão ter sido alvo de um ataque com morteiros que deixou seis detidos mortos e outros 60 feridos. Testemunhas disseram que o jornalista usava trajes civis.?Todos nós estávamos ali, pelo menos por meia hora. Eles sabiam que éramos jornalistas?, disse Stephan Breitner, da TV France 2. Breitner disse que os soldados tentaram ressuscitar Dana, sem sucesso. ?São soldados jovens e não entendem o que está acontecendo?, afirmou o jornalista.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.