Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Colégios eleitorais fecham em Taiwan

A jornada transcorreu sem grandes incidentes

EFE,

22 de março de 2008 | 06h04

Os colégios eleitorais fecharam neste sábado em Taiwan, após uma jornada na qual 17,32 milhões de eleitores foram convocados para votar para presidente e serem consultados em dois referendos de entrada da ilha nas Nações Unidas. A jornada transcorreu sem grandes incidentes, mas foram registradas algumas escaramuças isoladas entre eleitores de grupos opostos, num pleito com participação esperada maior de 80%. O candidato opositor, Ma Ying-jeou, do Partido Kuomintang (KMT), favorável a melhores laços com a China, sai como favorito, perante o candidato independentista, Frank Hsieh, do Partido Democrata Progressista (PDP). O plebiscito sobre o ingresso da entrada da ilha na ONU sob o nome de Taiwan desencadeou oposição não só na China, que considera a ilha "parte inalienável de seu território", mas também nos Estados Unidos e outras potências estrangeiras temerosas de uma alta nas tensões no estreito de Formosa. O opositor Partido Kuomintang boicotou este plebiscito do PDP, por sua inoportunidade, embora não rejeita o direito da ilha a ingressar na ONU e seu caráter de estado soberano e independente, mas sob seu nome oficial de República da China, que não exclui uma futura união com Pequim em democracia e liberdade. É muito improvável que o plebiscito do PDP, considerado pela China como uma provocação, alcance a participação requerida para a validade de seu resultado de 8.658.869 eleitores, 50% dos eleitores.

Tudo o que sabemos sobre:
ELEIÇÕES. TAIWAN

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.