Colégios retomam aulas e Lhasa volta 'gradualmente à calma'

Segundo informações oficiais, 13 civis morreram nos protestos; exilados afirmam que foram mais de 80

Efe,

17 de março de 2008 | 03h46

As escolas de Lhasa, a capital da região autônoma chinesa do Tibete, retomaram nesta segunda-feira, 17, as classes, um sinal que a cidade retorna "gradualmente à calma" após os violentos distúrbios da semana passada, informa a agência estatal Xinhua. Algumas escolas, no entanto, sofreram danos após os incêndios. Veja também: China bloqueia YouTube e Guardian após distúrbios no TibeteChina eleva para 13 número de mortos por distúrbios no TibeteChina procura agitadores 'casa por casa' no TibeteCresce tensão no Tibete e China fecha capital por segurançaDalai Lama denuncia 'genocídio cultural' Governo tibetano estima que 80 pessoas morreram em LhasaHu Jintao é reeleito na China e Xi Jinping é seu vice A autoridade máxima da região autônoma, Qiangba Puncog, elevou nesta segunda-feira para 13 os "civis inocentes" mortos pela revolta de sexta-feira passada em Lhasa, enquanto os tibetanos no exílio cifram em mais de 80 os que perderam a vida. Entre os edifícios danificados pelos incêndios estão os escritórios da agência Xinhua em Lhasa, as do Tibete Daily e uma filial do Banco da China. Puncog assegurou que os residentes estrangeiros em Lhasa estão sãos e salvos e "bem protegidos", e afirmou que as forças de segurança "não fizeram uso de armas destrutivas" nas revoltas dos tibetanos contra o domínio chinês.

Tudo o que sabemos sobre:
Tibeteprotestos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.