Colhedores de chá queimam vivo dono de fazenda na Índia

Trabalhadores rurais atearam fogo a bangalô em que fazendeiro vivia com sua mulher, segundo autoridades locais.

Subir Bhaumik, BBC

27 de dezembro de 2012 | 09h48

Centenas de trabalhadores de uma plantação de chá queimaram vivos o proprietário da fazenda e sua mulher no noroeste da Índia, segundo autoridades locais.

Os trabalhadores atearam fogo no bangalô em que o fazendeiro Mridul Kumar Bhattacharyya e sua esposa, Rita, viviam, em Kunapathar, no Estado de Assam.

O incidente ocorreu na noite de quarta-feira (dia 26), após uma disputa de duas semanas entre os trabalhadores e a administração da fazenda.

Segundo a polícia de Kunapathar, Bhattacharyya teria ordenado que alguns trabalhadores deixassem seus alojamentos na véspera do incidente. Em resposta, mais de 700 trabalhadores teriam cercado seu bangalô.

Meenakshi Sundaram, da polícia local, contou que dois carros do dono da fazenda também foram queimados.

Três trabalhadores teriam sido detidos em conexão com o incidente.

Antecedentes

Há dois anos, o mesmo fazendeiro já havia enfrentado uma manifestação em outra propriedade, de acordo com autoridades indianas.

Na ocasião, trabalhadores teriam queimado sua fábrica de chá em Guwahati, perto da capital da província de Assam, depois que Bhattacharyya supostamente disparou contra uma multidão que se reuniu perto de sua casa para protestar contra um ataque a uma mulher ocorrido na região de sua fazenda.

Mais de metade da produção de chá da Índia vem de 800 propriedades rurais em Assam.

Nos últimos anos, foram registrados no Estado vários ataques contra fazendeiros e administradores dessas fazendas. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Mais conteúdo sobre:
alsoindiarevolta

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.