Colin Powell diz que os EUA não hesitarão no plano de paz

O enviado americano para o Oriente Médio, John Wolf, se reúne neste domingo com representantes das forças de segurança israelense na Cisjordânia. A missão de Wolf ganhou mais força ontem à noite, quando o secretário de Estado americano, Colin Powell, declarou que os "Estados Unidos não hesitarão" na implementação do mais novo plano de paz para a região, também conhecido como "Roteiro da Paz".Powell exigiu que os dois lados parem de responder violência com mais violência para que os ataques não minem as negociações. Na noite deste sábado, representantes da Autoridade Palestina e do governo de Israel discutiram formas de avançar no plano.Acredita-se que o Exército israelense possa se retirar parcialmente da Faixa de Gaza e interromper os assassinatos de líderes do grupo militante palestino Hamas, se, em troca, a Autoridade Palestina prometer manter a segurança em Gaza e conseguir persuadir o Hamas a suspender os atentados contra Israel.O encontro, que durou três horas, foi o primeiro contato público entre os dois lados desde o recente ciclo de violência, que nesta semana deixou cerca de 60 mortos em Israel e nos territórios palestinos. O general israelense Amos Gilad ? coordenador de atividades de Israel em território palestino ? disse ao ministro da Segurança palestino, Mohammed Dahlan que a violência de militantes deve ser contida antes que Israel comece a se retirar dos territórios ocupados. Dahlan respondeu dizendo que a forma mais efetiva de Israel garantir segurança é acabar com a ocupação e parar de assassinar militantes palestinos e destruir suas casas. Os dois lados concordaram em se encontrar novamente em breve, mas a data ainda não foi definida.Antes da reunião, houve dúvidas sobre se o encontro seria ou não realizado.O ministro palestino da Informação, Nabil Amr, disse que a Autoridade Palestina está pronta para assumir a responsabilidade pela segurança em qualquer área a ser desocupada por Israel. Na sexta-feira, helicópteros do Exército israelense voltaram a bombardear a Faixa de Gaza, poucas horas depois de suas forças terem matado um militante do Hamas e ferido outros 26 palestinos.Não há informações de baixas no ataque ? o sétimo contra integrantes de grupos islâmicos nesta semana.Os ataques aconteceram poucas horas depois que o secretário de Estado americano, Colin Powell, fez um apelo para Israel moderar sua resposta a ataques palestinos. A vítima desta sexta-feira foi Juad al-Lidawi, que era integrante do Hamas.As informações são do site da BBC em português. Para ler o noticiário da BBC, que é parceira do estadao.com.br, clique aqui.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.