Colisão de ônibus mata 100 pessoas

Pelo menos 100 pessoas morreram em conseqüência da colisão de dois ônibus em uma ponte do Quênia quando os dois veículos derraparam contra a grade de proteção e caíram no rio, informaram nesta segunda-feira fontes policiais. A tragédia ocorreu na noite de domingo, aparentemente provocada pela alta velocidade dos ônibus, repletos de passageiros no momento em que atravessavam a ponte sobre o rio Sabaki, ao norte da cidade de Malindi. Cerca de 20 passsageiros - 22 ou 24, segundo outras fontes - conseguiram salvar-se, embora sofrendo ferimentos graves, e seis deles nadaram até as margens do rio. Durante a noite, foram localizados 14 cadáveres. Embora se desconheça o número total de passageiros de cada veículo, a polícia teme que este número excedesse a capacidade máxima de 60 em cada um deles. A maioria das vítimas ficou presa no interior dos ônibus, um dos quais submergiu no leito do rio, enquanto do outro se vê apenas o teto acima da superfície. Não há esperanças de encontrar sobreviventes, e teme-se que muitos corpos tenham terminado nas água do oceano Índico, arrastados pela correnteza do Sabaki. À noite, o rio fica cheio de hipopótamos - que não comem carne, mas se agitam violentamente quando perturbados em seu sossego. Dois jornais quenianos disseram nesta segunda-feira que havia um utilitário Land Rover mal estacionado no meio da ponte, enquanto os turistas seus ocupantes - italianos, segundo o diário Standar - tiravam fotografias.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.