Colômbia: acusados de apoio a rebeldes podem se entregar

Os senadores colombianos Álvaro García Romero e Erick Morris Taboada, acusados de possuir estreitos vínculos com grupos das Autodefesas Unidas da Colômbia (AUC), anunciaram neste domingo que pretendem entregar-se à justiça.García disse que se apresentaria na próxima quarta-feira, enquanto Morris Taboada informou ao jornal televisivo "Caracol Notícias" que se entregará assim que tiver um local seguro para sua reclusão, o que pode acontecer ainda neste domingo.A Corte Suprema de Justiça ordenou, na quinta-feira passada, a detenção de García e seu companheiro de bancada, Morris, assim como do senador Jairo Merlano, por ajudar grupos paramilitares responsáveis por vários massacres, principalmente no departamento nortista de Sucre.Os três permanecem na clandestinidade, embora as autoridades afirmem que operacionais foram designados para capturá-los e levá-los às autoridades. O ministro da Defesa colombiano, Juan Manuel Santos, afirmou que espera que os parlamentares se entreguem e respeitem a lei. Os paramilitares iniciaram um processo de paz com o Governo do presidente Álvaro Uribe, em 2003. A iniciativa permitiu a entrega de armas de cerca de 31 mil combatentes, processo concluído há poucos meses.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.